Terça-feira, 16 de Maio de 2006

Poesia Bruta

.

  Já lá dizia Bocage na sua Poesia Bruta

  A Puta é filha da Vida e a Vida é filha da Puta.

  Cá vai disto:

 

No dia em que me eu casei

Foi uma pouca vergonha

Toda a noite atirei fogo

Com uma pistola sem Coronha

 

A filha do Papa-Unto

Foi-se catar à candeia

Tirou um chato da Cona

Que pesava arroba e meia

 

Novo anúncio no jornal

A filha do General

Sobrinha do Arquitecto

Essa porca porcalhona

Tirava os chatos da Cona

E dependuráva-os no tecto

 

eh pah, sinto-me: em coma alcoólico

.posts recentes

. Poesia Bruta

.arquivo desde 2006

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Novembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.fotos dos fãs

.Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.kumkaneco